sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo!

Que o essencial da vida possa passar pela Fonte de Letras, em 2012, é o desejo que aqui fica.


A Fonte de Letras encerra no dia 31 às 16h e reabre no dia 3.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Um grande filme na pequena cidade para terminar bem o ano.

Queridos amigos cinéfilos,
é com enorme prazer que vos apresentamos o último filme da série Hair Cut.
Apesar de tudo, voltaremos à liça no próximo ano, com um novo ciclo de cinema.
Assim, o Cinecoiso e o Espaço do tempo, despedindo-se de 2011
Apresentam
A Canção Mais Triste do Mundo
um filme de Guy Maddin
(Este filme não se pode perder)


Na transição dos 80 para os 90,
Com Isabella Rosellini, Marl Mackinney e Maria de Medeiros

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Boas Festas e livros.

Horário de Natal
Sábado: 10h às 13h
Encerra Domingo e segunda-feira
Reabre dia 27.12

sábado, 10 de dezembro de 2011

Feira do Livro no salão de baile.






Transformar um salão de baile com pó do tempo numa feira do livro de encantar foi um prazer e uma obra de arte.
As árvores de Natal da floresta de dinossauros fazem parte do Concurso de Montras do Comércio Tradicional de Montemor-o-Novo, a maior foi feita pela "Escolinha O meu Futuro" e a mais pequena pelo Centro Lúdico das Silveiras. Tudo o resto foi uma produção conjunta e divertida Fonte de Letras/Diana Regal, com o altíssimo patrocínio da Sociedade Carlista que cedeu o espaço e abrilhantou alguns momentos com sua a banda filarmónica.
Como prometido no cartaz de divulgação: há Festas Felizes em Montemor. Esta fica apenas até amanhã, dia 11 de Dezembro.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Livros Felizes neste Natal.



Livros Felizes, são os desejos expressos nos marcadores de livros da Fonte de Letras para este Natal.
E as imagens são do largo e tudo à volta, onde há 11 anos a livraria ilumina e convida a entrar quem passa. Sempre a querer fazer a vida mais bonita e a pensar em formas bonitas de o fazer. É essa a história de tudo o que se vai propondo, dentro ou fora de portas, nesta ou noutras terras à volta. Este ano levaram-se livros a Évora, Portel, Vendas Novas, Montijo e até Gavião, a escolas, bibliotecas ou largos.
Sempre a partir de Montemor, Livros Felizes, seja qual for a história.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A ver a banda passar cantando livros de amor!

Feira do Livro na Carlista, 9, 10 e 11 de Dezembro
A Fonte de Letras e a Sociedade Carlista juntam-se neste Natal para uma Feira do Livro com música pela banda da Carlista.
Há Festas Felizes em Montemor.

Horário:
Dia 9, 19h às 24h
Dias 10 e 11, 14 às 24h

Uma história passada no dia 1 de Dezembro de 1955, apenas.



O autocarro de Rosa Parks (edit. Dinalivro), uma história do apartheid passada há apenas 56 anos e que parece que já fica tão longe, ainda bem. Para crianças e adultos.
"Há sempre um autocarro que passa pela vida de cada um de nós. Mantém os olhos bem abertos e não percas o teu." É a frase da contracapa.
O autocarro de Rosa Parks, Fabrizio Silei e Maurizio A. C. Quarello, edição Dinalivro, 10€

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Fonte de Letras aberta nos dias 1 e 8 de Dezembro.

A selecção de livros compõem-se para o Natal, há os mais óbvios e as escolhas mais pessoais, é inevitável. Talvez seja um erro mas na Fonte de Letras é fácil perceber o gosto de quem governa o barco. Editoras como a Cavalo de Ferro, já se alinham na mesa temporária de Natal e algumas colecções da Caminho, da Teorema, a editora de livros infantil Orfeu Mini, entre outras. É bom passar tempo numa livraria e percorrer com os olhos títulos e capas de tantas histórias por descobrir.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Nada tão importante, que não possa ser dito.

Lá fora o largo continua sereno mas o trabalho cá dentro não pára. São caixas e caixas de livros que chegam para as inúmeras feiras que se preparam, numa tentativa de combater a tal crise e de levar os livros para (ainda) mais próximo das pessoas.
Nada tão importante que não possa ser dito, foi um amigo que chamou a atenção para a maravilhosa frase do poeta José Alberto Oliveira, que dá título ao livro editado pela Assírio & Alvim, e agora é abusivamente usada para dizer que tem sido este o imenso trabalho invisível da Fonte de Letras para dar ainda mais visibilidade aos livros que se editam.

Feira do Livro da Escola EB23 São João de Deus, Montemor, 21 a 25 de Novembro.
Feira do Livro da Biblioteca de Vendas Novas, 26.11 a 03.12, com apresentação de livros: Hugo Santos (26.11) e Ana Sofia Martins (03.12).




sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Castanhas, Bunuel ou futebol.

Cet obscur object du desir
Hoje, na pequena cidade de Montemor, a escolha não será fácil, entre noite de S. Martinho no Largo da Fonte de Letras, com castanhas assadas, fogueira e música, Cet obscur object du desir de Bunuel, pelo Cinecoiso no Espaço do Tempo, ou futebol da Selecção para os aficionados. E parece que também há a hipótese de curtas-metragens no Centro Juvenil!
Seja como for, a seguir volta-se a casa mais quentinho para adormecer com um bom livro entre as mãos.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Quando a música é boa ser livreiro é a melhor profissão do mundo.

É claro que há muitos vícios de se ter sido publicitário durante 12 anos e por isso gostar-se fanaticamente da série de TV Mad Men, e também é verdade que fora do contexto as músicas perdem um bocadinho, mas hits como Blue in Green por Miles Davis, Manhattan por Ella Fitzgerald ou The end of the World por Skeeter Davies ouvidos numa livraria logo pela manhã fazem qualquer livreiro mad about his business.
Music heard on the hit series Mad Men - CD Triplo, 13€

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Precisa-se de Maurícios da Gama para ultrapassar a crise.

Alguns livros infantis têm lições a tirar, outros são só divertidos. Maurício da Gama é novo cá na escola é as duas coisas e é muito, muito bom. David Mackintosh é o ilustrador irlandês que é o autor desta divertida história sobre um menino de quem à partida na escola todos desconfiam porque nem sequer tem TV em casa, mas na sua festa de aniversário Maurício da Gama recebe os amigos a tocar Parabéns a Você no piano que ele e o pai construiram, todos brincam com o comboio electrico do Sr. Gama e muitas outras coisas inimagináveis para alguns (meninos e pais). E no final, os meninos levam para casa saquinhos com Luvas-de-Garra-de-Monstro, pó de comichão e cápsulas de sangue.
Com meninos e pais assim Portugal ainda poderia ser diferente.
Maurício da Gama é novo cá nas escola, Planeta Junior, 13,30€.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Mais uma noite de insónia.



Parece um obituário mas é só um texto de um excelente profissional da música garvada em disco que foi recebido ontem por email. Obrigada por tudo, Vitor. Apareça.


"Caros amigos
Depois de 22 !!! anos na " DARGIL é DarJazz " ( frase de José Duarte penso eu ) a partilhar a música com todos vós, eis que finalmente chegou a minha hora de ter que deixar a empresa na qual julgo que servi da melhor forma que sabia; juizo esse a ser feito por vós se for caso disso.
Partindo primeiro dos músicos e seus novos discos, dos concertos, dos criticos e por último e não menos importante das lojas de venda de discos, ( infelizmente já poucas subsistem mas fundamentais neste negócio), durante este tempo pude usufruir desta nossa pequena/imensa minoria onde se juntam todos em prol de um objectivo comum; a paixão pela música.
Os tempos estão dificeis e nesta altura as empresas/editoras ditas " indies " não fogem ao contágio da crise.
Visto o poder de compra ser cada vez menor nos últimos anos, as pessoas descobriram nessa preciosa ferramenta dos dias de hoje que é a internet, o modo fácil e barato de aceder à sua musica. Se por um lado veio dar a conhecer musicos que eram impensáveis de chegarem a algum lado, por outro deu a oportunidade das pessoas irem buscar o que queriam gratuitamente ou seja aceder à música a custo zero. Pena é não conseguirmos de igual forma tudo o resto.
Restam as lojas da fnac, El Corte Inglês, as poucas outras e as ditas especializadas como Trem Azul.
Tal como as coisas estão e para aqueles " velhos " resistentes do formato fisico a alternativa será mesmo esta: internet. Ou compram nos mais variados sites de venda sobejamente conhecidos ou directamente aos sites das editoras.
Posto isto desta forma que julgo realista, não me resta outra alternativa senão a de sair.
Continuarei a manter acesa esta paixão pela música da mesma forma que até aqui cheguei.
Um muito obrigado a todos vós
e até Jazz
Vitor Natário"

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Email aberto à Leya (Dom Quixote, Caminho, Asa, etc)

Caros Senhores,
Lamento mas não tenho mais paciência para estas reclamações “por escrito” - como diz o delegado comercial da Leya para eu fazer para o seu director. Não sei porque não chega a chamada telefónica que fiz para o telemóvel do comercial, que custa caro, mais o telefonema para o serviço a clientes da Leya, que custa dinheiro! Pois se quer a um quer a outros perguntei e reclamei pelos livros que encomendei e não chegaram, que são as novidades interessantes a sair no momento – Lobo Antunes, Agualusa, Miguel Real, Herta Müller – que pedi ao mesmo tempo que livros do Ruca e da Chicco e do Lego, e esses sim, chegaram cá!!!!

Os livros interessantes não chegam, como não vai chegar provavelmente, o novo livro do Saramago. Estarão com certeza pilhas deles nos hipermercados e afins, para depois voltarem devolvidos para a editora daqui a algum tempo enquanto a Fonte de Letras receberá talvez a 3ª edição daqui a uns tempos e depois de ter dito envergonhada e lacónica, aos clientes habituais e que dão valor à 1ª edição, “peço desculpa, não chegou!!”
Estou cansada e tenho vergonha que os cliente saibam disto.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Apresentação de livro no Dia Mundial dos Cuidados Paliativos, 8 de Outubro.

A livraria Fonte de Letras tem o prazer de convidar para a apresentação do livro Cuidados Paliativos – Testemunhos, com coordenação de Isabel Galriça Neto, editora Aletheia, no âmbito da comemoração do Dia Mundial dos Cuidados Paliativos.
Segue-se um importante debate sobre o tema com a presença da Drª Isabel Galriça Neto (Presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos), Drª. Ana Cardoso, Enf. Carla Paiva e Enf. Lucinda Marques.
No sábado, dia 8 de Outubro às 16h.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Jantar de hoje, pág.22

Mais um livro de cozinha para ler todo de seguida, como um romance.
Sugestão para o jantar de hoje, pág. 22, Omelete de cebolas vermelhas caramelizadas com queijo Red Leicester (pode ser substituído por qualquer queijo Cheddar). Com certeza, de chorar por mais.
As voluptuosas Receitas de Miss Dahl, Sophie Dahl, Oficina do Livro, 25€

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Um dia de fúria.

O dia de livreiro hoje começou com uma fúria, uma fúria das grandes, contra a fnac e os editores que fazem negócios "fabulosos" em que vendem uma edição inteira exclusivamente para a fnac!

Trata-se do livro "A extraordinária caça ao tesouro que lhe dá 50.000€", Tim Dedopulos, edição Booksmile. Esta será a maior Caça ao Tesouro desde o título ilustrado Masquerade (bestseller internacional) que levou, em 1979, uma nação inteira numa demanda obsessiva por uma barra de ouro enterrada pelo autor do livro. Inicialmente destinado a crianças, Masquerade tornou-se rapidamente numa obsessão para os adultos. O livro continha 15 pistas em imagens, que contavam a história da demanda de Jack Hare em levar um tesouro da Lua para o Sol. Um pote em cerâmica cheio de jóias e uma barra de ouro foi descoberto em 1982, em Beds, apesar de a primeira pessoa a ter encontrado o tesouro ter sido acusada de batota.

Agora o conceito foi adaptado e as pistas para encontrar o tesouro levam o leitor do livro ao google earth. O Desafio começa no dia 16 de Setembro de 2011 e termina no dia 31 de Março de 2012.

O livro fará sem dúvida com que um público difícil como os adolescentes o leia avidamente, fale dele aos amigos; e porá muitos miúdos a ler. Tarefa importantíssima, e em que todos, principalmente os livreiros deveriam estar encolvidos. Não se trata de números, nem de vendas, nem de milhões de euros (esses estão só no título do livro!), mas de uma missão: a de pôr pessoas a ler para que um dia este país possa ser diferente, e melhor.

Ora depois de receber vários emails de divulgação do editor e da distribuidora com pompa, circunstância e até filme, ver o livro anunciado nos blogs dos críticos de literatura, etc, e de ter feito a encomenda do livro há duas semanas e hoje insistir com a distribuidora para saber quando chega o livro, a resposta é que o livro só será vendido na fnac! Toda a edição foi negociada e adquirida pela fnac.

É triste que a Fonte de Letras não possa dizer com alegria aos seus clientes adolescentes ávidos por novidades "está aqui um livro que vais gostar de ler", ou aos pais de meninos que não sabem como os pôr a ler ou às bibliotecas das escolas com quem trabalha normalmente.

Uma notícia destas logo de manhã acaba com o dia de um livreiro.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Fonte de Letras ESTABLISHED SINCE 16.09.2000 numa pequena cidade do interior.

Numa terra pequena há “capelinhas” - os da rua de cima que não gostam dos do clube do amarelo inimigos dos do partido preto e os que sempre tiveram o sonho de ter uma livraria – só um equilibrista se aguenta sem mossas.

Numa terra pequena as pessoas acabam por ser sempre as mesmas e, se às vezes lhes apetece tagarelar e até fazer confidências, noutros dias é preciso adivinhar que é "dia não”. Um livreiro é um bartender.

Numa terra pequena se o livreiro vai ao ginásio ou à piscina pública tem que se despir e tomar duche ao lado dos seus clientes. No dia seguinte voltamos a dizer “bom dia” com cerimónia.

Numa terra pequena ter uma porta aberta e opinião cívica é estar sujeito a perder clientes, às vezes aqueles que compram mais.

Numa terra pequena um livreiro escolhe a escola dos filhos pelo professor que conhece os melhores livros infantis. Que sorte!

Numa terra pequena conhecem-se as pessoas pelos livros que lêem e sabe-se quem são as pessoas que não lêem.

Numa terra pequena os clientes batem-nos à porta de casa mesmo ao dia de folga, informados pelos vizinhos a quem nunca demos a nossa morada. E é preciso sorrir sempre.

Numa terra pequena o livreiro conhece o amor da sua vida discutindo livros e autores. É romance mas não é ficção.

Helena Girão Santos, 11 anos de livreiro em Montemor-o-Novo.
Fonte de Letras, desde 16.09.2011.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O fim da festa.

video
Assim terminou há oito dias a Feira da Luz. Fazendo um balanço da feira do livro, o espanto continua o mesmo, as pessoas adoram livros e a feira é um enorme sucesso! Mas onde estão todas estas pessoas durante o resto do ano? compram livros no supermercado? apenas lêem um livro por ano? Parece que os livros é que andam distantes do público e não o contrário - talvez os livros devam mesmo estar nos supermercados, nas estações de metro e comboio, no meio das ruas... e talvez as livrarias intimidem e afastem.
Certo também é que em tempo de crise, e ao contrário dos anos anteriores, vendeu-se muito menos auto-ajuda e mais ficção. Provavelmente as pessoas perceberam que quando as coisas correm mal vale mais uma boa história para as encantar.

sábado, 10 de setembro de 2011

Uma rentrée que promete!



Abrir uma caixa de livros fresquinha e encontrar, assim de repente, três livros que dá vontade de ler, parece uma muito boa rentrée! Vamos ver se a promesa se cumpre e se as boas surpresas continuam pelo ano fora. É claro que deparar com livros bons quando se está a catalogá-los e arrumá-los atrasa o trabalho de um livreiro, que tem mesmo muito para fazer e assim fica perdido durante um bom bocado a ler - mas essa é a parte boa do trabalho.



Ravelstein, Saul Bellow, Quetzal - 16,50€



A Amante Holandesa, J. Rentes de Carvalho, Quetzal - 15,50



Ferrugem Americana, Philipp Meyer, Bertand - 17,76€

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Aí está de novo a Feira da Luz.

A vida tal como a conhecemos nesta cidade volta a parar na 4ª feira próxima até à 2ª feira seguinte. Agora é a Feira. Feira da Luz, a feira de Setembro. Lá está representada a cidade com as instituiçoes, as empresas, o comércio, o gado, a diversão, os toiros. Combinam-se jantares de amigos que vêm de fora e se reencontram de ano a ano, as famílias passeiam inteiras, os adolescentes põe o look mais fashion, as crianças brincam e fazem birras. Os que são da terra não passam sem a feira e os que são de fora também já se renderam.
A feira do livro, como já vem sendo hábito lá estará também (feita pela Fonte de Letras numa organização da Câmara Municipal), e parece que já é uma das bandeiras do município.

Há luzes, música, pipocas e algodão doce. Agora vamos para a festa e a vida começa logo a seguir!

Feira da Luz, Montemor-o-Novo, 31.08 a 05.09.
Feira do Livro na Feira da Luz, horário: 4ª feira, inauguração oficial, 21h; 5ª, 6ª e 2ª feira, a partir das 18h, sábado e domingo, a partir das 10h.
Programa completo aqui.


sábado, 20 de agosto de 2011

A ver passar os comboios!


Hoje há festa no Beco da Torre, Torre da Gadanha.
Diz a Teresa: A Burrabolha (Quartos de Hóspedes na Torre da Gadanha, Montemor) tem agora apêndice, o Beco da Torre, um apeadeiro para quem não pretende apanhar nenhum comboio. Aqui pode beber ou comer algo, gozar de uma esplanada despretenciosa no campo ou alugar uma bicicleta para um passeio.
Sábado 20 de agosto celebraremos. Há voluntários para tocar e cantar ao vivo, directamente de França, GREG VOINIS (www.myspace.com/gregvoinis). Se mais alguem quiser trazer algum instrumento musical para a dita jam session (a que eu chamaria sessão de compota) à vontade.
A musica terá lugar mais ao fim da tarde, depois do calor, que afinal parece que vai chover, festa abençoada será!!!!
Trabalharemos de Quarta a Sexta das 12.00 às 22.00 e Sábado e Domingo, das 10.00 às 22.00. Também há Internet sem fios para esses dependentes.
http://burrabolha.blogspot.com/

sábado, 13 de agosto de 2011

No próximo dia 15, fechados para leituras.

Os vigilantes, do argelino Tahar Djaout, Assírio & Alvim, colecção Outros Lugares, 13€.

"Outros Lugares" pretende ser um contributo para o conhecimento desta nova realidade literária. Aqui se preocurará publicar obras contemporâneas exemplares da escrita narrativa de regiões pretensamente mais periféricas ou de autores cujo malfadado destino comercial não lhes permitiu ter no nosso país o reconhecimento editorial que literariamente merecem.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A silly season fica menos silly. E de caminho vê-se o Tejo.

A exposição “Bleuretália (achados, infructuosidades e quadros pintados)” de José Miguel Gervásio será inaugurada no dia 14 de Agosto, às 19h00, na Galeria Municipal do Montijo.
No Dia dessa cidade, em jeito de homenagem, a Galeria Muncipal recebe um artista plástico natural do Montijo, que foi distinguido com uma Menção Honrosa no Prémio Vespeira – Bienal Internacional de Artes Plásticas de 2008.
Não é em Montemor, é no Montijo, mas é o José Miguel.

Hoje há cinema no Convento da Saudação, Castelo.

O Cinecoiso e o Espaço do Tempo apresentam:
T E T R O
Francis Ford Coppola
EUA, P/B /Cor,
127' M12
Sexta-feira dia 12 de Agosto, a partir das 21:30h,

no Convento da Saudação.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Fonte de Letras e Monte Chora Cascas uma parceria de cama, mesa e livros.




Já foi há alguns anos atrás que esta longa amizade levou a dormir e a um jantar inesquecível escritores, músicos e artistas plásticos no Monte Chora Cascas (http://www.choracascas.pt/) - o delicioso e divertido jantar ainda hoje é lembrado em conversas, seja pelo escritor espanhol José Manuel Fajardo, pelo angolano Agualusa ou pela cantora Lula Pena, entre outros.

Agora o Chora Cascas foi renovado mas o encanto e o conforto continuam os mesmos. E a parceria passa agora por uma selecção de livros que deu imenso gosto fazer, porque a Sónia achou interessante que os seus clientes pudessem levar para casa mais alguma coisa para além da memória da estadia. Pode-se dizer que a ideia foi, como se diz agora nas artes e performances, um site specific, e da lista podemos destacar:

Uma casa em Portugal, Richard Hewitt

Regresso a casa e outros contos, Hermann Hesse

Hotel Majestic, J. G. Farrell

Hotel Finnbar, vários autores

Música, Hermann Hesse

Hotel Lusitano, Rui Zink

O direito à preguiça, Paul Lafargue

O prazer da leitura, M. Proust
Mas há mais... livros de arquitectura, lindíssimos livros infantis... Para irem sendo substituidos regularmente.

É feito disto, este Alentejo.

sábado, 6 de agosto de 2011

Os livros dos amigos de novo no escaparate!

Como as palavras dos amigos são do coração, seguem-se as palavras do crítico José Mário Silva, no suplemento Actual do jornal Expresso, de 30 de Julho passado:

"Uma coerência dadaísta

Tudo Voltaire ao Cabaré
Autor: Luís Serra
Editora: Apenas Livros
N.º de páginas: 28
ISBN: 978-989-618-336-3
Ano de publicação: 2011

Professor de Filosofia, Luís Serra (n. 1970) publicou até agora dois conjuntos de poemas, com tiragem reduzida e circulação discreta. Atentando no seu aspecto artesanal (folhas agrafadas, sem lombada, presas por um cordel), estamos mais próximos da noção de plaquete do que do conceito de livro. O que faz aliás todo o sentido, ou não se desse o caso deste «poeta do arrabalde» cultivar uma irreverência e um descentramento que colocam a sua escrita nas margens – ou talvez mesmo fora – do mapa oficial da poesia portuguesa contemporânea, se é que tal cartografia existe.À semelhança do primeiro trabalho (o desconcertante Brinquedos de Latão e Sarampo, 2009), Tudo Voltaire ao Cabaré reúne uma série de poemas muito breves, por vezes irónicos, outras vezes esquivos, vagos, ou então absurdos (melhor dizendo: não redutíveis a um qualquer sentido), mas capazes de fixar em três ou quatro versos uma ideia poética intensa. Constate-se a subtil acumulação de elementos sensoriais (imagem, som, tacto, desejo) do poema
Manhã leve e amarga:
os portões de madeira carunchosa

o murmúrio do alambique
a luz e o gato que brincam recônditos
o amor flutuante em urgências perversas

Como o título da obra sugere, estes textos são varridos por «ventos fortes de coerência dadaísta». Luís Serra é sensível à força bruta dos acasos vocabulares, à sua incongruente beleza. Está atento às «derrapagens» e «atritos», ao que é «bambo» e «sem acerto», à «passageira arte com ferrugem». Quando pode, finta a semântica, essa «senhora / tão fora de horas». E oferece-nos, entre alguns poemas falhados, visões fulgurantes (exemplo: a nespereira «a um canto do pátio / como ardil amarelado / que não deserta»).
Avaliação: 7/10"

Só um pequeno à parte: o Luís vai com certeza gostar de saber que na Fonte de Letras está encostadinho à Marilyn Monroe - A Última Sessão.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

As férias dos meninos do largo passam pela Fonte de Letras.

Nas férias os dias passam-se no largo, entre os avós e as brincadeiras. Jogam à bola, às escondidas, andam de bicicleta, trepam por onde podem. E ao final da tarde entram na Fonte de Letras e perguntam se podem ver os livros. Já sabem que há os proibidos, são os de pop-up, os de janelas, os mais frágeis, todos os outros podem trazer para o sofá para lerem, ainda que muitas vezes não demorem mais de 2 minutos em cada livro. Hoje pareciam uns anjinhos de tanto azul.